7ª Etapa
Home > Etapas > 7ª Etapa
7ª Etapa / Felgueiras - Bragança / 193,2 Km / 12 agosto
Menu
Cidade Partida
Cidade Chegada
Mapa
Percurso
Altimetria
Partida e Chegada
Directo
Galeria
Media
Comunicados
Apresentação 7ª Etapa
Felgueiras

Venha experimentar, saborear e sentir… Felgueiras!

O município de Felgueiras localiza-se na Região do Tâmega e Sousa, constituída por 11 municípios, com uma área de 1.831 Km2, correspondente a 8,6% da Região Norte de Portugal e na qual residem cerca de 431 mil habitantes, dos quais cerca de 58 mil em Felgueiras, cuja população é uma das mais jovens do País e da Europa. Felgueiras integra quatro centros urbanos, as cidades de Felgueiras e da Lixa e as vilas de Barrosas, da Longra e um conjunto de freguesias que se reveste de um património natural e cultural único.

Venha conhecer uma terra com forte identidade cultural e industrial. Nas terras de Felgerias Rubeas irá encontrar o precioso legado de povoados da idade do Bronze (II. º Milénio a.C.) e da romanização (Séculos I – VI), o Caminho de Santiago, a Rota do Românico, património do barroco, do neoclassicismo e do estilo brasileiro na arquitetura.

Em Felgueiras poderá conhecer o empreendedorismo mais avançado nas indústrias do calçado e da agricultura (vinho, kiwi e espargo), admirar a arte da tradição artesanal: bordado Terra de Sousa (tão conhecido como bordado da Lixa), rendas de Filé, instrumentos manuais de corda e o calçado artesanal manual.

A visitar

Sugerimos a visita à Villa Romana de Sendim; aos cinco monumentos que integram a Rota do Românico, elevando-se o Mosteiro de Pombeiro; às empresas do Roteiro de Turismo Empresarial (fábricas de calçado, quintas de enoturismo, casas pão-de-ló de Margaride e casas de bordados); à Casa da Cultura Leonardo Coimbra e ao monte, santuário e miradouro de St.ª Quitéria. Muito outros atrativos encontrará nos nossos Percursos Pedestres.

Seja peregrino de Santiago, percorrendo o Caminho de Torres em Felgueiras que liga a Lixa (Borba de Godim) à calçada e ponte romanas em Vila Fria, na envolvente do Parque de Campismo. O hipismo é também uma experiência a não perder.

Gastronomia e Vinhos / Enoturismo

Em Felgueiras o verde domina na paisagem. Existe uma grande tradição na produção vinícola, uma herança que passou de geração em geração. O enoturismo oferece-lhe a oportunidade de visitar quintas e adegas, de pisar o terroir, de contemplar os vinhedos, de degustar e comprar vinhos.

Em 2019 criou-se um prato identitário, com o orgulho, vocação e talento felgueirense, o “Bacalhau à Felgueiras”, que harmoniza em pleno com os vinhos de Felgueiras. O Pão de Ló de Margaride é um doce maravilhoso com cerca de 300 anos de tradição e foi servido à mesa da Família Real Portuguesa desde o século XIX.

 

Bragança

Bragança. Naturalmente!

Explore lugares ímpares
Bragança conserva um património ímpar num centro histórico bem conservado, que facilmente se percorre a pé. As pedras gastas, testemunhas de uma História atribulada, que remonta à Idade do Bronze, contam a presença de romanos, suevos e visigodos em combates que ajudaram a estabelecer as linhas de fronteira e a importância estratégica do burgo.
A Torre de Menagem, quatrocentista, destaca-se num dos mais harmoniosos e bem preservados castelos do país, que abriga um conjunto monumental digno de nota pela sua originalidade. É o caso da enigmática Domus Municipalis, edifício que remonta ao sec. XIII e se acredita ter acumulado as funções de cisterna com a de local de reunião dos “homens bons” do concelho. A seu lado, ergue-se a elegante Igreja de Santa Maria, cuja frontaria barroca, de tipo retabular, traduz no granito a talha dourada dos altares. Formando uma união singular entre épocas bem distintas, o pelourinho medieval está incrustado num berrão, estátua zoomórfica com origem em povos castrejos da proto-história.
Para lá das muralhas, as ruas empedradas guiam o viajante por um rosário de templos, em que se destacam o Convento de S. Francisco, as igrejas de S. Vicente e da Misericórdia, e a Sé, com um claustro renascentista e sacristia merecedores de visita atenta. O mesmo percurso está recheado de magníficos solares, edificados entre os séculos XVI e XVII, que hoje albergam instituições públicas.
Mas os tesouros monumentais não se limitam ao coração da cidade. Nas redondezas encontram-se joias como o Mosteiro de Castro de Avelãs, cuja cabeceira de planta circular revestida a tijolo é exemplar único em Portugal do estilo românico-mudéjar, ou a majestosa Basílica de Santo Cristo do Outeiro, único exemplar no país situado numa aldeia, com um esplêndido interior em talha barroca e assinalável pintura sacra.
Igualmente importante é o património cultural preservado nas aldeias do concelho, onde perduram tradições ancestrais, numa ruralidade tranquila feita de hábitos comunitários. É assim em Rio de Onor, aldeia fronteiriça e com fortes raízes comunitárias, Montesinho, aldeia aprazível de casas de pedra e telhados de xisto e, como é tradicional em Trás-os-Montes, onde há sempre a porta aberta de um sorriso para o receber.


Paisagens e Biodiversidade

Descubra Um Reino Maravilhoso
Poucos territórios possuem biodiversidade tão rica como o Parque Natural de Montesinho, situado às portas de Bragança. Com 80% dos mamíferos que existem em Portugal, só aqui poderá ser surpreendido por um grupo de veados junto à estrada, avistar um corço a alimentar-se num carvalhal, descobrir sinais da presença de javalis num prado ou escutar o uivo de um lobo.
O fabuloso mosaico de paisagens, composto por montes arredondados, os vales encaixados dos rios Sabor, Maçãs e Baceiro, searas, lameiros, soutos extensos, bosques de azinheiras e a maior mancha de carvalho-negral da Europa, é percorrido por inúmeros trilhos assinalados que permitem agradáveis passeios a pé ou a prática de BTT em cenários de arrebatadora beleza.
Bragança dispõe, igualmente, condições de excelência para a prática do ciclismo de estrada/cicloturismo, por estradas de montanha e com passagem por paisagens singulares e aldeias hospitaleiras, onde o bem-receber caracteriza os habitantes.
A Reserva da Biosfera da Meseta Ibérica, que abrange todo o território de Bragança e é a maior da Europa, merece uma visita atenta, usufruindo da diversidade paisagística e das inúmeras atividades de lazer que poderão ser desenvolvidas.
Unindo aldeias, embrenhando-se em densos arvoredos ou seguindo o traçado de cursos de água, há veredas calcorreadas há muitos séculos, como o itinerário romano de Antonino e os Caminhos de Santiago – um dos troços da Via da Prata passa por aqui, numa rota que prossegue em direção a Ourense. A Estação de Biodiversidade de Carrazedo, na Serra da Nogueira, é um aprazível percurso pedestre com indicação das plantas e animais que aí podem ser observados, entre eles algumas espécies de borboletas exclusivas de Trás-os-Montes.
À variedade geográfica e climática, que permite o convívio invulgar de exemplares tanto da flora mediterrânica como de ambientes mais frios, soma-se a existência de serpentinitos, rochas ultrabásicas onde florescem preciosidades botânicas endémicas dos solos transmontanos. Do ponto de vista geológico destacam-se também as rochas presentes no maciço de Bragança, as mais antigas do país, com cerca de mil milhões de anos.
Acrescente-se, ainda, a abundância de cogumelos, os mares de papoilas primaveris, a quietude matinal depois de um nevão ou o prazer de um banho nas frescas linhas de água, numa tarde de calor.
Um Reino Maravilhoso, em qualquer estação do ano!

Mapa
Percurso
477 Partida Real / Départ Réel: N207 (junto ao Centro de Inspeções)
0 193.2 12:10 12:10
321 Fafe, rotunda à dta. p/ Mondim de Basto ( Continente Fafe)
8.7 184.5 12:24 12:23
313 Rotunda à esq. p/ Gandarela de Basto, N206
9.1 184.1 12:25 12:24
338 Rotunda à dta. p/ Mondim - Cabeceiras, N206 Início subida / Début col
9.5 183.7 12:25 12:25
702 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Lameira 18.7 174.5 12:41 12:39
249 Rotunda em frente p/ Arco de Baúlhe, N206
31.7 161.5 13:02 13:00
249 Rotunda à esq. p/ Arco de Baúlhe, N206
31.9 161.3 13:03 13:00
225 Arco de Baúlhe, rotunda em frente p/ Ribeira de Pena, N206
33.4 159.8 13:05 13:02
223 Rotunda à esq. p/ Ribeira de Pena, N206
33.5 159.7 13:05 13:02
179 Ponte de Cavez s/ Rio Tâmega Início subida / Début col
45.3 147.9 13:25 13:21
690 Portela de Stª Eulália, rotunda em frente p/ V. P. de Aguiar, N206
58.1 135.1 13:46 13:41
923 PM 2ª cat / Col 2ème cat - Lixa do Alvão 66.7 126.5 14:01 13:55
900 Rotunda em frente p/ V. P. de Aguiar, N206
67.4 125.8 14:02 13:56
858 Rotunda (A24) em frente p/ V. P. de Aguiar, N206
71.7 121.5 14:09 14:03
831 Rotunda em frente p/ V. P. de Aguiar, N206
71.9 121.3 14:09 14:03
743 Vila Pouca de Aguiar, rotunda à esq. p/ Valpaços, N206
73.9 119.3 14:13 14:06
735 Meta Volante - Vila Pouca de Aguiar
74.7 118.5 14:14 14:07
736 Rotunda (Oval) em frente e rotunda à dta. p/ Valpaços, N2
74.8 118.4 14:14 14:08
736 Rotunda à esq. p/ Valpaços, N206 Início subida / Début col
75 118.2 14:15 14:08
1098 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Serra de Padrela 89.4 103.8 14:39 14:31
746 Carrazedo de Montenegro, rotunda à esq. p/ Valpaços, N206
102.5 90.7 15:00 14:51
794 Rotunda em frente p/ Valpaços, N206
104 89.2 15:03 14:54
795 Argemil, à dta. p/ Valpaços, N206
104.8 88.4 15:04 14:55
445 Valpaços, rotunda à esq. p/ Bragança, Av. 25 de Abril
118.4 74.8 15:27 15:16
450 Meta Volante - Valpaços, Av. 25 de Abril
118.6 74.6 15:27 15:17
435 Rotunda em frente p/ Torre de Dona Chama, N206
118.9 74.3 15:28 15:17
430 Rotunda à dta. p/ Torre de Dona Chama, N206
120.1 73.1 15:30 15:19
419 Bouça, rotunda à esq. p/ Bragança, N206
132.4 60.8 15:50 15:39
419 Rotunda em frente p/ Bragança, N206
132.5 60.7 15:50 15:39
344 Torre de Dona Chama, rotunda em frente p/ Bragança, N206
143.6 49.6 16:09 15:56
346 Meta Volante - Torre de Dona Chama (Bombeiros Voluntários)
144 49.2 16:10 15:57
691 Penhas Juntas Início subida / Début col 159.6 33.6 16:36 16:22
1085 PM 3ª cat / Col 3ème cat - Serra da Nogueira 179.5 13.7 17:09 16:53
773 À esq. p/ Bragança, N15
186.4 6.8 17:20 17:04
736 Rotunda à esq. p/ Bragança (centro), Av. das Cantarias
189.1 4.1 17:25 17:08
687 Rotunda à esq. p/ Av. Sá Carneiro
190.9 2.3 17:28 17:11
685 Rotunda à esq. p/ Rua Padre António Vieira
191.8 1.4 17:29 17:12
701 À esq. (Contramão !!) p/ Av. Abade de Baçal
192.2 1 17:30 17:13
700 À dta. p/ Rua Prof. Dr. António Gonçalves Rodrigues
192.8 0.4 17:31 17:14
708 Meta Final / Arrivée: Bragança - Parque do Eixo Atlântico
193.2 0 17:32 17:15
Altimetria
Últimos 3Km
Partida
Chegada
Actualizar
Galeria
7ª ETAPA 82ª VOLTA PORTUGAL SANTANDER

Oito dias de Volta (7ª etapa) e nova reviravolta na classificação. Chegada ao nordeste transmontano deu nova liderança (repetente à Volta).

Declarações de Rafael Reis à RTP
Rafael Reis (Efapel) venceu no prólogo em Lisboa, na primeira etapa na terra onde nasceu, em Setúbal, e esta quinta-feira em Bragança.
As palavras do novo Camisola Amarela Santander à RTP, depois de ganhar a 7ª Etapa da 82ª Volta a Portugal Santander.